Está a pensar tirar a carta de condução e ainda não sabe quanto lhe vai custar? Está a par de todas as despesas que terá pela frente? Partilhamos consigo alguns conselhos que ajudarão a poupar muito dinheiro.

O custo total

Não existindo nenhuma entidade reguladora, o valor total da carta de condução varia entre estabelecimentos de ensino de condução. Contactámos algumas escolas de condução para obter preços de referência e obtivemos a seguinte informação:

  • Em Lisboa o valor total da carta varia entre 350 a 500 euros, a pronto pagamento.
  • No Porto o valor total da carta pode variar entre 450 a 800 euros, a pronto pagamento.

Aconselhamos a que peça informações em várias escolas, se possível em concelhos diferentes. Por exemplo, existe uma diferença de cerca de 100€ no valor praticado nas escolas de Lisboa e nas da margem sul do Tejo.

Pode consultar a lista de todas as escolas de condução do país fornecida pelo IMTT aqui.

Todas as despesas, em separado

Nem sempre estão incluídas todas as despesas no preço anunciado pelas escolas. Deve por isso perguntar se o preço total inclui cada um dos elementos abaixo, e se algum não estiver incluído deverá certificar-se do preço praticado para que não seja apanhado desprevenido mais adiante:

  • Inscrição: incluído em todas as escolas (com emissão da licença de aprendizagem)
  • Atestado médico
  • Material didáctico: entre 18€ a 30€ (Código da Estrada, exames teóricos online/em CD)
  • Aulas de código: 28 aulas obrigatórias, incluídas em todas as escolas
  • Exame de código: entre os 70 a 80€ em Lisboa e os 100 a 150€ no Porto
  • Aulas de condução: 32 aulas obrigatórias incluídas em todas as escolas
  • Exame de condução: ronda os 90€ a 100€ em Lisboa e pode ir até aos 200€ no Porto
  • Emissão da carta de condução: 30€, pagos após aprovação no centro de exames

Todos estes elementos condicionam o valor final da carta de condução, e aqui encontramos as maiores diferenças nos valores praticados pelas escolas. Os valores que mencionamos são apenas indicativos, sofrendo alterações, nem sempre residuais, de escola para escola, o que se verifica na disparidade das taxas de exame.

Exemplificando, numa das escolas que contactámos, em Lisboa, o valor normal da carta custa 450€ – que inclui inscrição, oferta de atestado médico ou livro de código, aulas teóricas e práticas e exame teórico e prático. No entanto, existe actualmente uma promoção de Verão com a carta a 325€ – mas não inclui o exame prático, cujo valor unitário custa 98€. Assim, é essencial confirmar sempre o que inclui o preço total para não ser apanhado desprevenido.

Inquira ainda sobre a política interna da escola relativamente à assiduidade das aulas de condução, nomeadamente qual a antecedência mínima para avisar que vai faltar e as consequências de faltar sem avisar. O valor de uma aula avulso varia entre 20 a 25€.

Ao contactarmos as escolas a perguntar pelos valores de cada um dos elementos, percebemos que estas não estão habituadas a que se entre em tanto pormenor relativamente aos custos de cada um dos elementos da carta. Faça, por isso, todas estas questões e evite surpresas ao longo do seu percurso de formação.

Pagamento em prestações

A maioria das escolas possibilita o pagamento faseado da carta de condução. Este faseamento pode ser em forma de prestações mensais de igual valor, num prazo pré-estabelecido, ou então em montantes pagos no início de cada etapa da carta de condução.

Tenha em consideração, principalmente no caso das prestações mensais, que quantas mais as prestações mais cara a carta vai ficar. Embora as escolas não usem a palavra “juros”, a verdade é que a soma das prestações nem sempre corresponde ao valor pedido a pronto pagamento.

Considere adiar o início desta “aventura” de forma a reunir o valor total da carta para que a possa pagar a pronto. Esta será sem dúvida a opção mais barata.

Repetição de exames e aulas adicionais

No caso de reprovar num dos exames, terá que o repetir – o que acarretará custos adicionais.

A repetição do exame de código obriga ao pagamento da respetiva taxa e obriga-o a assistir a 5 aulas adicionais de código, normalmente gratuitas.

Repetir o exame de condução obriga às mesmas 5 aulas adicionais, mas neste caso são cobradas pela escola.
Ou seja, a repetição deste exame implica o pagamento da taxa mais 5 aulas, o que poderá significar um pagamento adicional de 200€ em Lisboa ou 300€ no Porto.

Prepare-se para o Código

Estude o Código da Estrada pelo livro e complemente com os testes multimédia, tanto nos computadores que a escola disponibiliza como em casa. Tem exames à sua disposição em sites como:

A maioria dos alunos foca-se apenas nos testes de código, esquecendo o “entediante” Código da Estrada. No entanto, existem mais de 3200 perguntas possíveis de saírem no exame, por isso desaconselhamos que estude para o exame apenas com base nos testes!

Quer tenha dúvidas ou não se sinta totalmente preparado para o exame, pode ainda assistir a mais aulas de código para além das obrigatórias, normalmente sem qualquer valor acrescido.

Prepare-se para a Condução

É um direito do aluno pedir mudança de instrutor, quer permanente, quer apenas por uma ou duas aulas. Isto permitir-lhe-á escolher o estilo de ensino com o qual se identifica mais ou pedir uma segunda opinião sobre se estará ou não apto para ir a exame de condução.

Relativamente ao exame, quando estiver perto do número de aulas obrigatórias, pergunte ao seu instrutor se já alcançou um bom nível de condução e se ele acha que irá concluir com êxito o exame de condução. Dado o valor unitário das aulas e do exame de condução, é preferível investir em aulas extra para se preparar melhor do que correr o risco de chumbar e pagar o dobro ou o triplo pela repetição.

Pode ver uma transcrição das ações avaliadas durante o exame prático aqui (Art.º 20.º da Portaria nº 536/2005 de 22 de Junho de 2005).

Conselhos finais

Antes de escolher uma escola, lembre-se que os amigos e familiares são excelentes fontes de informação, principalmente os que passaram por este processo nos últimos anos. Pergunte-lhes onde tiraram a carta, com que instrutor, quanto e como pagaram, e que conselhos lhe podem dar.

Com isto vai conseguir informações privilegiadas sobre preços praticados, prestações, qualidade dos instrutores, qualidade das instalações, problemas que poderão surgir e questões a ser levantadas. Muito embora o valor monetário seja o factor que mais pesa quando se pensa em tirar a carta, é também necessário considerar a qualidade do ensino prestado pela escola escolhida, a localização e horário da mesma, bem como os seus custos de deslocação e a possibilidade de o irem buscar ou deixar perto de casa, pois todos estes fatores acabam por se repercutir no valor final da carta.

Não se iniba nem tenha vergonha em perguntar e exigir respostas detalhadas, e acima de tudo não se deixe levar pelas promoções, sites de descontos e publicidade sem as estudar em profundidade.

Nem sempre o “Tudo Incluído” quer mesmo dizer que está tudo incluído.

Aconselhamos também a que, antes de escolher uma escola, consulte o seu orçamento (veja aqui como utilizar os Orçamentos do Boonzi) para o ajudar a tomar a melhor decisão para si e para as suas finanças. :)

(Todos os valores aqui mencionado são apenas indicativos, com base em informações prestadas por algumas escolas e através de pesquisa na Internet, não constituindo parte de nenhum estudo de mercado nem podendo ser consideradas uma amostra significativa de todas as escolas do país.)

Etiquetas

Gostava de gerir melhor o seu dinheiro?